13 de janeiro de 2013

Cavalgada














Para Roberval Pereyr

Num mundo de farpas, cavalgo. 
Esquecida entre feras 
e abismos, duvido. 
E calo. 

Feitas as contas, 
– sob o lombo do meu cavalo – 
carrego apenas: 
sono, dores, dilemas.


4 comentários:

  1. Bela Cavalgada Lidi.
    Parabéns Amazona dos versos!

    ResponderExcluir
  2. Belíssimo poema. Ouço duas vozes originais a do homenageado e da poeta dona de seu dizer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom ler o teu comentário, amigo Paulo. Bom te receber no Deslocamentos. Que bom que gostou do poema. Um abraço.

      Excluir