3 de fevereiro de 2016

Delicadeza













 

Em memória de Andréia Gallo

O mundo não comporta a delicadeza.
Não há lugar para a calmaria, o silêncio.
Tampouco para gestos leves, olhares serenos,
vozes suaves.

Ou somos brutos e insensíveis,
ou adoecemos gravemente.

Algumas pessoas, ainda que frágeis e boas,
resistem ao peso dos dias.

Mas outras, as mais especiais,
que não fazem parte da “raça dos comuns”,
ainda que se façam fortes e lutem,
perecem.

Talvez, seja Deus querendo poupá-las de fazer parte
de uma humanidade hostil,
que Ele já se arrependeu de ter criado.

Talvez, seja apenas mais um lado, 
injusto, dessa existência sem sentido.

Perdemos uma amiga, uma irmã,
como se fosse algo banal,
como se perdêssemos um trem que partiu mais cedo.

Nada pode ser feito.

E cá ficamos nós, sós, tristes,
impotentes e órfãos.

2 de janeiro de 2016

Homenagem para a minha amiga Déia




O que falar sobre Andréia Gallo, a minha amiga Déia? O retrato da serenidade, da bondade, da delicadeza, da simplicidade, da abnegação, do cuidado com as pessoas ao seu redor. Excelente filha, professora dedicada, esposa amorosa, amiga generosa. Déia, para mim, era um ser superior, sempre tranquila, doce, levando paz para todos que conviviam com ela. Fui aluna de Déia, na UEFS, em 2005, e daí começamos uma amizade que durou 10 anos. Lutei muito para conseguir a pílula contra o câncer para ela, queria tanto que ela aguentasse um pouco mais até a chegada do remédio, mas não foi essa a vontade de Deus. Chorei muito e ainda choro, porque ela se foi, a minha amiga descansou. Quero me lembrar sempre dela como estava na foto acima, bem, contente, sem dores. E levarei comigo as três últimas palavras que ela me disse, quase sussurrando, quando fui visitá-la no sábado, dia 26 de dezembro de 2015, na unidade semi-intensiva: “Eu te amo”. Oh, minha amiga, apesar de eu já ter lhe dito isso algumas vezes, queria muito ter a certeza de que você partiu sabendo que eu também a amava e amo, e o quanto eu queria te ver bem, com saúde, curada. Vá em paz, Déia! Que Deus dê forças ao seu companheiro de 24 anos, Mayrant Gallo, a mim, e a todos aqueles que tiveram o privilégio de sua amizade.