3 de abril de 2012

Liberdade














Pediu as suas chaves 
de volta, 
implorou para sair
daquela prisão.

Queria voltar a ver a luz,
queria por um fim
em sua aflição.

Mas quando a porta
se abriu,
perdeu as forças
e sentiu o mais completo
abandono.

Agora,
está trancada no quarto
e só deseja a escuridão
e o sono.

8 comentários:

  1. Pois é, não há nada melhor que a falta de liberdade. Claro, uma ironia, e como dói. Aquele abraço. T

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo seu comentário, caríssimo. Aquele abraço. L

      Excluir
  2. É sempre esse nosso dilema: abraçar a liberdade e seus riscos ou abandonar-se na prisão de escuridão e quietude? Belo texto, Lidi. Bj!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso, Dema. Obrigada pela visita. Bjs

      Excluir
  3. Lindo Lidi! Vc, como sempre, criando quadros-poéticos maravilhosos!! Adoro lê-la!! Bjs
    Sol

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E eu adoro ser lida por você, Sol. Obrigada. Bjs

      Excluir
  4. Quando tomamos o flagelo pela liberdade.

    um cheiro

    ResponderExcluir
  5. Foi como se eu estivesse lendo pessoas que conheço.Nossa!
    Parabéns, Querida Lidi!

    ResponderExcluir